Um blog de recortes e de textos sobre a forma mais sensível de amar, o amor que nasce da amizade, além de outros textos sobre amor, amizade e relacionamentos entre amigos.
30
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 00:38link do post | comentar

Que Me Alcance La Vida
Sin Bandera

Composição: Leonel Garcia, Noel Schajris

 

http://letras.terra.com.br/sin-bandera/372182/

 

Tantos momentos de felicidad
tanta claridad, tanta fantasía
tanta pasión, tanta imaginación
y tanto dar amor hasta llegar el día
tantas maneras de decir Te Amo
no parece humano lo que tu me das


Cada deseo que tu me adivinas
cada vez que ríes, rompes mi rutina
y la paciencia con la que me escuchas
y la convicción con la que siempre luchas
como me llenas como me liberas
quiero estar contigo si vuelvo a nacer


Le pido a Dios que me alcance la vida
y me de tiempo para regresar
aunque sea tan solo un poco
de lo mucho que me das
le pido a Dios que me alcance la vida
para decirte todo lo que siento gracias a tu amor


El sentimiento de que no soy yo
y que hay algo más cuando tu me miras
la sensación de que no existe el tiempo
cuando están tus manos sobre mis mejillas
como me llenas como me liberas
quiero estar contigo si vuelvo a nacer


Le pido a Dios que me alcance la vida
y me de tiempo para regresar
aunque sea tan solo un poco
de lo mucho que me das
le pido a Dios que me alcance la vida
para decirte todo lo que siento gracias a tu amor

 

Y me da la luz que hace despertar
que me aleja de la oscuridad
que me llena de calor el mundo
para que no pierda el rumbo

 

Le pido a Dios que me alcance la vida
y me de tiempo para regresar
aunque sea tan solo un poco
de lo mucho que me das
le pido a Dios que me alcance la vida
para decirte todo lo que siento gracias a tu amor...


28
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 05:44link do post | comentar

Já li relatos inúmeros sobre pessoas que se "vingam" da frustração de não terem conseguido um certo alguém conquistando um outro alguém que parece cópia xerox da primeira pessoa.

 

Só não tinha acontecido comigo.

 

Ou melhor, não aconteceu, porque não era nada intencional. Não havia nenhum aspecto de "compensação".

 

Mas fiquei surpreso com o número de coincidências que une as duas pessoas: nome, semana de nascimento, número e sexo dos irmãos, profissão, formação acadêmica, acontecimentos recentes na vida e na família, gostos peculiares, parentes com quem têm mais afinidade, forma como nos aproximamos, forma como nos conquistamos...

 

Fico arrepiado só de lembrar da lista...

 

Pois estou certo de que, se eu contar para a primeira: "estou apaixonado por uma pessoa que é assim, assim, assim...", vou ouvir:

 

"Eu já não disse que não quero nada com você?"

 

P.S.: Ao menos nisso, elas diferem completamente! E viva o AmorAmigo!


26
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 05:17link do post | comentar

Sou absolutamente contra a exposição pessoal na rede, uma apresentação "para o público".

 

Conheci uma psicanalista - outra, veja só - que amava se expor na rede. Mas eu gostei dela, "apesar disso", e muito.

 

Até que, num certo momento, a coisa desandou, especialmente por parte dela, em um sentido que eu não havia percebido anteriormente. Algo que, superficialmente, os homens chamam nas mulheres de "contraditório".

 

Mas a rede estava farta de pistas que ela tinha deixado em redes sociais. E eu decidi traçar-lhe o perfil e jogar-lhe na cara por e-mail - estava em um dia parecido com o do sujeito relatado há pouco tempo aqui, o apaixonado.

 

Nem de longe é um perfil comum, diga-se. Daí, inclusive, nasceu e floresceu o meu encantamento.

 

Pois joguei. E a resposta, com sinais de rompimento, dizia que eu era prepotente e precipitado, por falar-lhe aquilo sem a conhecer o suficiente.

 

E não é que tudo bateu? Porque agora, lendo a rede social um tempo depois da mensagem, tudo aquilo que eu falei se confirmou mais uma vez, e meus vaticínios se concretizaram! Tudo!

 

Se um dia esta história, que eu relato porcamente aqui, virar um conto, um título possível é "O dia em que eu analisei a analista".


24
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 05:11link do post | comentar

A gente lê literatura, vê filmes e, se para para pensar, acha a vida da gente banal.

 

Aí, num belo dia, a gente sai da toca.

 

Cada um tem o seu jeito de sair. O meu foi terminando uma relação e começando a buscar conhecer novas pessoas.

 

E acaba descobrindo uma vida de cinema. Drama, ação, aventura, romance...

 

Uma vida de literatura: tudo isso vivido intensamente, com descrições poéticas idiossincráticas, indelevelmente marcadas pelo autor.

 

Como é bom estar vivo!


22
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 05:09link do post | comentar

Andar conmigo
Julieta Venegas
Composição: Julieta Venegas

 

http://letras.terra.com.br/venegas-julieta/82210/

Hay tanto que quiero contarte
Hay tanto que quiero saber de ti,
Ya podemos empezar poco a poco
Cuéntame que te trae por aquí.

No te asustes de decirme la verdad
Eso nunca puede estar así tan mal
Yo también tengo secretos para darte
Y que sepas que ya no me sirven mas.

Hay tantos caminos por andar...

Dime si tú quisieras andar conmigo oh, oh, oh...
Cuéntame si quisieras andar conmigo oh, oh, oh...

Estoy ansiosa por soltarlo todo
Desde el principio hasta llegar al día de hoy;
Una historia tengo aquí para entregarte,
Una historia todavía sin final

Podríamos decirnos cualquier cosa
Incluso darnos para siempre un siempre no,
Pero ahora frente a frente aquí sentados
Festejemos que la vida nos cruzo
Hay tantos caminos por andar...

Dime si tú quisieras andar conmigo oh, oh, oh...
Cuéntame si quisieras andar conmigo oh, oh, oh...

Si quisieras andar conmigo... 

 


20
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 05:21link do post | comentar

Finalizando a série de posts com trechos de entrevista do Contardo Calligaris à revista Trip em 2002:

 

A Trip reproduziu um trecho de uma coluna que o Calligaris escreveu para a Folha de S.Paulo, com 8 "normas de conduta cotidiana" do homem moderno. Eu reproduzo algumas que têm a ver com o tema do nosso blog:

 

1. Você pode escolher entre ficar em casa ou pegar a estrada e, sem dúvida, faz e fará um pouco dos dois. Mas, quando estiver em casa, tente não sonhar com a estrada e, quando estiver na estrada, tente não lamentar o calor do lar. Vivemos de sonhos e de nostalgias: é necessário cuidar para que essa alternância não nos mantenha constantemente afastados do momento presente.

3. Todos os pedidos podem ser recusados, mas devem ser, ao menos, reconhecidos. Portanto é proibido recusar sem falar.

4. Trate como íntimo só quem poderia sem riscos lhe devolver a mesma cordialidade.

5. Caso você pretenda mudar o mundo, lembre-se de que, provavelmente, você não está à altura do mundo mudado segundo seu desejo. Se pretende transformar seu parceiro ou sua parceira, lembre-se de que você, provavelmente, não está à altura do parceiro ou parceira assim transformados. Quem quer mudar as coisas facilmente esquece de contar-se entre os itens a serem mudados.

6. Qual é a melhor viagem: visitar as capitais européias num “tour” de 15 dias ou passar duas semanas numa cidade só e conhecê-la um pouco? É mais interessante manter um casamento complicado do que multiplicar as ou os amantes. O mesmo vale para os amigos e relações em geral.

8. Considere como verdade absoluta que é possível ter uma vida boa e justa sem acreditar numa verdade absoluta.


18
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 05:08link do post | comentar

Continuando, hoje e depois de amanhã, a série do Calligaris na Trip:

 

Dizem que brasileiro é bom de cama. Por quê?
Quando você fala em “sexualidade do brasileiro”, está se referindo a uma curiosa confluência entre o que acontece na vida individual e na vida dos povos. O Brasil foi o maior sistema escravagista do mundo, e a gente se pergunta se isso acabou direito. O fato de “nós”, no caso os brasileiros, sermos sensuais, ou sexuais mesmo, tem a ver com a permanência dessas relações de domínio escravagista — que é o domínio do corpo, o “faço com o seu corpo o que me der na telha”. Esse sadomasoquismo talvez seja a dinâmica fundamental de qualquer excitação sexual. E uma das razões pelas quais há uma dificuldade de se conciliar sexo e carinho.

Por que é difícil conciliar sexo e carinho?
É possível ter carinho pela pessoa com quem a gente transa e transar com a pessoa por quem sentimos carinho. Mas em uma alternância. O sexo não é o momento do carinho. Quando as relações se tornam totalmente carinhosas e as pessoas começam a falar como bebês, daqui a pouco somos o Mickey e a Minnie e vamos dormir com o pijaminha da Disney. Pode ser legal, mas aí a gente vai acabar não transando mais.

 

Por que as novas gerações estariam menos interessadas em sexo?
A velha idéia é de que a proibição fazia o “sal” da coisa. E uma vez que a sexualidade foi liberada... Mas não acredito nisso. A hipótese que levanto é que a nova geração erotiza menos as relações de domínio. E, portanto, falta o elemento que era para as gerações precedentes uma das fontes essenciais da excitação. Quando falo “erotizar as formas de domínio”, não significa nada de espantoso. É aquele casal que se adora e na hora da transa ele diz “toma aqui, sua puta!” e os dois gozam freneticamente. A pergunta é: as novas gerações são capazes de inventar uma sexualidade diferente? É possível. Mas esse déficit é visível na indústria da “mascarada sadomasoquista” e nos filmes pornôs, em que um strip ou uma transa não interessam mais — o negócio é “a puta violentada pelo policial”. Também há um fundo sadomasoquista no movimento gótico, no punk, nos vampiros, na cultura da tatuagem e do piercing.

 

Ou seja, o Calligaris defende o AmorAmigo, sim, mas na hora do sexo, é preciso haver um distanciamento e, possivelmente obrigatoriamente, uma relação erótica de dominação.

 

Portanto, não mate o sexo com AmorAmigo! Deixe-o fora da cama.


16
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 04:56link do post | comentar

Eu tenho uma afinidade grande pela maioria das coisas que o psicanalista Contardo Calligaris diz sobre relacionamento, e acabo fazendo uma seleção daquelas que têm a ver com o AmorAmigo e tudo o que a gente trata aqui no blog.

 

Na realidade, não faço muita seleção. O Calligaris tem presente o conceito da "monogamia variada", ou seja, em que você fica com uma pessoa só, em relação de fidelidade, o tempo suficiente para explorá-la na plenitude, ainda que mude depois. Mas longe de ficar pulando de galho em galho como o pessoal que não sai da baladinha...

 

Veja trechos de entrevista que Calligaris deu à revista Trip em 2002, neste e nos próximos dois posts:

 

http://newhost.trip.com.br/revista/109/paginas-negras/contardo-calligaris.html

 

Em outro artigo você afirma que as pessoas andam “tão preocupadas em preservar suas liberdades individuais que acabam por preservar a sua solidão”. É verdade?
Eu acho que, em vez de fugir dos relacionamentos, seria menos custoso inventar maneiras de convivência em que a gente pudesse pagar um pouco menos do que a solidão. A gente tem muito a inventar na maneira de um casal conviver e negociar a individualidade um do outro. Defendo as uniões duradouras, porque são mais interessantes. Acho que muitas separações — mas, cuidado, não todas, longe disso — são efeito de preguiças diversas. Então, valorizo os esforços dos que tentam ficar juntos.

Ainda sobre relacionamentos, você sempre pergunta: “Qual é a melhor viagem, visitar as capitais européias num ‘tour’ de 15 dias ou passar duas semanas numa cidade só e conhecê-la um pouco?”. O que quer dizer?
Quero dizer que a diversidade das relações é dramaticamente desinteressante. A grande maioria das pessoas vive uma série de monogamias. São poucas as que preferem uma vida de quinze capitais em quinze dias. E a verdade é que isso é muito pouco interessante. Porque não existe nada de mais interessante no mundo do que as pessoas. E, se você inventa um sistema de relações que na verdade é um sistema de não-relações, se priva do que há de melhor na vida.

Mas não há um certo prazer na variedade?
Não é a variedade, mas o desconhecido que tem valor erótico. Se você está disposto a ter uma transa num canto escuro de um parque com alguém que nunca viu, isso é uma fantasia sexual do caramba. Só não esqueça a camisinha. Mas ser galinha e ter um flerte com uma conversa babaca a cada dois dias não tem interesse nenhum, nem sexual, nem individual. Entendo perfeitamente uma atividade sexual de sauna, de clube de swing, mas essa do “eu flerto, bato um papinho, dou dois beijos e passo para outra” não tem nenhuma graça.


14
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 04:49link do post | comentar

Apenas Timidez
Kid Abelha
Composição: Paula Toller/ George Israel

 

http://letras.terra.com.br/kid-abelha/76059/


Eu sei que eu poderia estar falando alto ou gritando
Soltando a minha voz aguda e rouca pelo ar
E sei que poderia agora estar cantando
Mostrando a todos como é bela a minha dor


Confesso entretanto que sou incapaz
De anunciar assim o que eu sinto
Prefiro esperar sozinha por você
Pois só você entende o que eu digo


Eu bem que poderia freqüentar todos os bares
Tentando exorcizar um pouco o que sofri
Andar de mesa em mesa
Tropeçando e bebendo
Chorando e contando a minha triste estória
A quem quisesse ouvir


Confesso entretanto que sou incapaz
De jogar fora assim as minhas lágrimas
Prefiro dormir sozinha no quarto
Talvez eu esteja bem melhor ao acordar


Não pense que é covardia
É apenas timidez
Só me serve a sua companhia


Eu sei que eu poderia estar vivendo um romance
Escrevendo a cada dia uma página da minha futura biografia
E até que poderia também tentar um suicídio
E assim saciar a sede de sangue da humanidade


Confesso entretanto que sou incapaz
De exibir assim minhas marcas nos jornais
Prefiro deixar o tempo passar
Quebrando uns pratos até você chegar


Não pense que é covardia
É apenas timidez
Só me serve a sua companhia


12
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 04:39link do post | comentar

Há um blog chamado "Frases Psicanalíticas" em que fragmentos de textos são postados pelas autoras, psicanalistas.

 

Retirando-se o fato de que aparecem inúmeros textos de autoria mal atribuída, o blog é muito interessante. Uma das postagens, da própria blogueira Ana Paula Dilger, diz que:

 

http://frasespsicanaliticas.blogspot.com/2011/04/foi-numa-noite-dessas.html

 

"Foi numa noite dessas. Numa dessas noites frias que acontecem dentro de mim que percebi. Percebi que dar amor a quem não está preparado para receber é uma das maiores ofensas que se pode fazer a alguém. Oferecer luz a escuridão pode machucar ao invés de libertar. Foi pensando que aquecendo o frio de um coração machucado pela vida poderia ser acolhedor, que aprendi que o gelo sofre ao ser derretido pelo fogo. E que o que parecia ser derretimento eram na verdade lágrimas. Tamanha falta de tato oferecer abrigo a quem habituou-se receber apenas desamparo, acreditando ser o melhor que poderia ter. Isso pode soar invasivo. Corre o risco de ser sentido como agressivo."

 

Pois está aí, com as palavras certas, o problema do nosso amigo apaixonado...


10
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 04:28link do post | comentar

"De fato, a gente se diverte mais quando não cria expectativas. Mas, ao mesmo tempo, sente que está afastado. É frio, não há ódio, tampouco amor."

 

Frase brilhante, tocante, mas inútil quando dita para aquela que não despertou para o AmorAmigo. Talvez, até, seja por isso que a mulher para quem se dirigiu a frase seja tão melancólica... Já imaginou? A vida inteira fazendo sexo sem amor correspondido?

 

Se bem que vai na linha do post anterior. Luciana Saddi, ao definir as mulheres (as que fazem sexo), disse:

 

"As mulheres dão, podem até demorar um pouco, mas dão. Por obrigação, por tesão, por falta do que fazer, por que não? Quando sentem medo, bebem. Fecham os olhos e deixam rolar, às vezes fecham também a capacidade de julgar, se arrependem. Sentindo aflição pela própria solidão cedem, e afinal os homens esperam isso delas, segundo elas e a televisão."

 

Pelo menos para a mulher de que falo aqui, é exatamente isso.


08
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 04:18link do post | comentar

No dia 30 de julho, a psicanalista Luciana Saddi publicou em seu blog um trecho de seu livro, um romance.

 

Título: As virgens, as semivirgens e as mulheres.

 

Você, que é bom entendedor, nem precisa ler o original, certo? Só destaco que a autora assegura que ninguém muda de categoria, que isso nasce conosco (mulheres), e que não há como ser misto.

 

E quanto aos homens?

 

"Agora, lembrem-se, não há categorias alternativas para os homens, não há homens castos, nem mesmo os eunucos o são. Não há mais homens semicastos, os últimos morreram no século XIX. Há homens. O que não é problema. Se você amar, se você vier a amar um homem, amar mesmo, amar com tamanha densidade que chega a doer, que dá tremedeira e que te tira a lucidez; construa um altar, ore com resignação, seja temente às forças da natureza e o adore."

 

Ok, trata-se de um romance. Mas não posso deixar de discordar.

 

Raras, as demais categorias seguem existindo. Raras, mesmo. Mas vivíssimas, e valorosas.

 

http://falecomigo.folha.blog.uol.com.br/arch2011-07-24_2011-07-30.html#2011_07-30_22_21_40-145566303-0


06
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 04:14link do post | comentar

Só Pro Meu Prazer
Leoni
Composição: Leoni/ Fabiana Kherlakian

 

http://letras.terra.com.br/leoni/101923/

Não fala nada
Deixa tudo assim por mim
Eu não me importo
Se nós não somos bem assim
É tudo real as minhas mentiras
E assim não faz mal
E assim não me faz mal não


[refrão]
Noite e dia se completam
No nosso amor e ódio eterno
Eu te imagino, eu te conserto
Eu faço a cena que eu quiser
Eu tiro a roupa pra você
Minha maior ficção de amor
Eu te recriei, só pro meu prazer
Só pro meu prazer
Não vem agora com essas insinuações
Dos seus defeitos ou de algum medo normal
Será que você, não é nada que eu penso
Também se não for
Não me faz mal
Não me faz mal não...


[refrão]
Noite e dia se completam
No nosso amor e ódio eterno
Eu te imagino, eu te conserto
Eu faço a cena que eu quiser
Eu tiro a roupa pra você
Minha maior ficção de amor
Eu te recriei, só pro meu prazer


[refrão]
Noite e dia se completam
No nosso amor e ódio eterno
Eu te imagino, eu te conserto
Eu faço a cena que eu quiser
Eu tiro a roupa pra você
Minha maior ficção de amor
Eu te recriei, só pro meu prazer
Só pro meu prazer


04
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 04:07link do post | comentar

Rubens Ewald Filho, ao comentar o filme "Foi Apenas um Sonho", lembra que os espectadores, na maior parte, "chafurdam felizes numa mediocridade contente", não conseguem entender o casal que "tem tudo" e é infeliz.

 

http://cinema.uol.com.br/resenha/foi-apenas-um-sonho-2008.jhtm

 

Conheci uma mulher há alguns meses, tive a impressão de que fosse profunda... e descobri, depois, que fazia parte da mediocridade contente.

 

Por outro lado, conheci outra, mais recentemente, que tudo indicava que seria deste tipo... e me surpreendi com a sua percepção profunda das relações humanas.

 

O AmorAmigo só consegue florescer na inteligência e na lógica. Nem preciso dizer qual delas tem os relacionamentos mais estáveis, duradouros e positivos, preciso?


02
Ago 11
publicado por AmorAmigo, às 01:14link do post | comentar

Um interessante texto sobre arrependimento pode ser lido no site VyaEstelar. A autoria é de Rosemeire Zago. Segue um trecho:

 

Dificilmente alguém decide se separar de maneira impulsiva, sem pensar muito, por isso, dificilmente há o arrependimento. Mas depois de analisar alguns fatos, obter algumas respostas, algumas pessoas podem chegar à conclusão que é melhor voltar a um passado infeliz, mas seguro, do que enfrentar um futuro incerto, apesar de quase sempre, muito melhor.

 

Para as pessoas tímidas, ou mulheres com idades avançadas, isto parece ainda pior. A incerteza do futuro, e a grande probabilidade de se atravessar um longo período na solidão, desincentiva o fim do relacionamento ou, no caso, incentiva um retorno ao velho parceiro.

 

http://www2.uol.com.br/vyaestelar/separacao_dor.htm


mais sobre mim
Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

15
17
19

21
23
25
27

29
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO