Um blog de recortes e de textos sobre a forma mais sensível de amar, o amor que nasce da amizade, além de outros textos sobre amor, amizade e relacionamentos entre amigos.
08
Nov 11
publicado por AmorAmigo, às 02:20link do post | comentar

Parece que as conversas são sempre as mesmas, daquelas que não sabem, de fato, amar. De forma que, quando leio um texto destes, fico a ter a certeza de que entender o ser humano é mais fácil do que se imagina.

 

Mas só quando não estamos envolvidos até a alma reencarnada com o ser humano em questão.

 

Mais uma vez, tomo a liberdade de reproduzir Gustavo Oliveira, que deixou de postar tais obras, mas, como já esperávamos, recuperou-se. Afinal, ele diz que "nunca quis ser poeta", mas que das cinzas de sua dor se fizeram as palavras. Valeu a pena, acredite. Visite o blog onde ele deixou seus escritos!

 

Inviolável

 

http://bblogdele.blogspot.com/2010/08/inviolavel.html

 

No começo eu só queria uma amiga
Alguém pra conversar, me ouvir
Me aconselhar, me apoiar
Momentos difíceis, amores em risco
Te procurar? Proibido, inaceitável, pecaminoso
Mas eu fiz. E te encontrei
Encontrei teu colo, teu conforto
Teu amor incondicional – que eu nunca pedi
Tua entrega plena – que eu nunca esperei
Tuas asas de anjo – você entregou a mim
Anjo caído, as penas aos meus pés

 

Você me amou, você dizia
Eu não queria, eu não podia
Amor puro, amor de uma vida
“Gu, te amo mais do que já amei qualquer coisa”
Amiga, amante, razão da minha existência
Eu seu único homem, seu único amor
Sua única razão – não
Apenas mais um. Simultaneamente mais um

 

Eu e outros, sempre os outros
“Ele é louco, desequilibrado”
“Ele me persegue, me assusta”
“Ele é obcecado por mim”
E tantos, tantos eles
Por que tantos eles?
Suas palavras, meu éter
Inebriado, enganado, apaixonado
Sua liberdade por sua honestidade
Essa sempre foi a única condição inviolável
Mas sua própria violação lhe tirou o respeito pelo inviolável

 

Me entreguei
Me rendi
Me escancarei
Me tornei seu – seu e dela
Mas irremediavelmente seu
Inquestionavelmente seu
Unicamente seu
Seu pra sempre
Seu para o quisesse, o que fizesse
E você me fez. Me fez mais um
Me fez jogar sem saber as regras
Me fez de idiota, me fez de troféu
Adversário e troféu

 

“Gu, eu não jogo”
Você joga com vidas
“Gu, você é único”
Único a te desmascarar
“Gu, com você não tenho filtros”
Com todos você tem filtros
“Gu, eu não quero roubar você pra mim”
Você me roubou de mim, roubou minha dignidade

 

Ontem você conduzia meus sonhos mais verdadeiros
Hoje você protagoniza meus mais cruéis pesadelos

 

Gustavo Oliveira

 


mais sobre mim
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

13
15
17
19

21
23
24
25
26

27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO